Short Review

ANGEL ON FIRE

(ANJOS DO INFERNO, 95)

Dir : Phillip Ko Fei

Elenco : Cynthia Khan, Phillip Ko Fei, Waise Lee, Sharon Yeung

Desde o começo dos anos 90 Phillip Ko Fei tem produzido, dirigido e atuado em filminhos de baixo orçamento, geralmente filmados nas Filipinas, e Angel On Fire (lançado em VHS no Brasil pela China Video como Anjos Do Inferno) é um dos muitos girls with guns baratos dessa época.

Um objeto valioso é roubado do Templo Shaolin. Uma policial de HK (Cynthia Khan) e uma agente chinesa (Sharon Yeung) são enviadas para as Filipinas, onde se encontra o comprador da relíquia. Lá Cynthia conhece um taxista boa pinta que ajuda-a a se livrar de várias enrascadas até recuperar a relíquia.

O filme é de uma pobreza indescritível. Ou será que ninguém percebeu que nesse ridículo roteiro o comprador mora nas Filipinas só pra baratear o orçamento do filme? Sem contar que, fora uns barracos de madeira e dois carros que explodem numa cena de perseguição, quase nada é destruído no filme. Algumas cenas de luta são mal filmadas, os wireworks são muito mal feitos (dá pra se ver claramente os cabos) e a edição é confusa.

Mas é um filme chato? De jeito nenhum!!! Phillip Ko compensa o baixo orçamento com muita ação, provando que dá pra se fazer um filme bem movimentado com pouco dinheiro. Cynthia Khan já teve performances físicas melhores, mas sua atuação está adorável. Aliás, ela está mais bonita nesse filme do que a gente está acostumado a ver na série In The Line Of Duty. Sharon Yeung quase não aparece no filme e só luta no final, infelizmente. Como todo filme barato, o roteiro tem mais buracos do que a bochecha de Jet Li, mas se você não for muito exigente, Angel On Fire serve muito bem pra entreter durante uma hora e meia.

 

Nota : 6.0

I'M BACK!!!

TODOS QUEREM SABER :

O TAKEO ABANDONOU O ASIAN FURY?

A resposta é : não, caros leitores, não abandonei o blog. Só andei muito ocupado ultimamente.

 

Claro, isso é uma desculpa já muito manjada, afinal eu sempre reclamo de falta de tempo pra atualizar o ASIAN FURY, mas a falta de tempo das últimas semanas tem um bom (na verdade ótimo) motivo.

 

É que desde o começo de agosto adquiri mais de 50 DVD’s novos, entre trocas e compras. E entre assistir um DVD novo e atualizar o blog, adivinhem qual opção escolhi?

 

Bem, pra não ficar mais tempo sem atualizar o blog, resolvi fazer comentários breves dos filmes que eu for assistindo, ao invés das resenhas mais elaboradas e cheias de screencaps que eu costumava fazer. É claro que esporadicamente ainda farei resenhas mais aprofundadas como antigamente, mas por enquanto vou adotar esse formato.

Short Review

TWO GREAT CAVALIERS (78)

Dir : Yeung Jing Chan

Elenco : Angela Mao, John Liu, Chen Sing, Leung Kar Yan

Adoro os filmes do John Liu, mas Angela Mao nunca me convenceu. Esse ótimo filme taiwanês serviu pra mudar um pouco a minha opinião sobre ela. Os filmes mais conhecidos dela, como Operação Dragão (Enter The Dragon) e Lady Whirlwind são da primeira metade dos anos 70, quando as coreografias eram mais desengonçadas, e era justamente isso que eu não gostava nela, mas Two Great Cavaliers foi produzido no auge da popularidade do gênero shapes (aqueles filmes com coreografias mais cheias de poses e frescuras) e Angela se saiu muito bem.

Angela Mao e John Liu

 

O enredo é aquele velho clichê de manchus querendo a lista de nomes de rebeldes revolucionários, com direito a um aliado que se revela traidor no final! Mas quem se importa com isso quando temos John Liu no elenco? Tudo o que seus fãs querem é ver a sua incrível flexibilidade e sua técnica com as pernas.

Com o veteraníssimo Chen Sing como vilão (que usa uma técnica de palmas verdes venenosas) e uma pequena participação do barbudo Leung Kar Yan, Two Great Cavaliers é diversão garantida pra todo fã de kung fu old school.

 

Nota : 7.0

 

Curiosidade

Angela Mao fez mais um filme com John Liu, O Trio Invencível Do Kung Fu (The Invincible Kung Fu Trio), também produzido em Taiwan e com Meng Fei completando o trio. Chegou a sair em VHS no Brasil, mas nunca tive oportunidade de assistir. Todas as críticas que li foram bem negativas...

Short Review

NINJA IN THE DEADLY TRAP (82)

Dir : Phillip Kwok

Elenco : Lu Feng, Chiang Sheng, Phillip Kwok, Ti Lung, Yasuaki Kurata

Embora em alguns sites o ano de produção esteja datado como 84 ou 85, Ninja In The Deadly Trap (também conhecido como Ninjutsu) na verdade foi filmado em 82, mas devido a diversos problemas (incluindo uns rolos com a tríade), esse filme só foi lançado alguns anos depois.

Debut diretorístico de Phillip Kwok, esse filme foi uma espécie de resposta do trio taiwanês dos Venoms (Kwok, Chiang Sheng, Lu Feng) ao clássico O Super Dragão Chinês (Chinese Super Ninja), de Chang Cheh, com quem eles tinham acabado de romper relações. Como o filme de Kwok tinha 3 Venoms e de Cheh somente 1 (Lo Meng), esse pode ser considerado um “filme dos Venoms” mais autêntico do que o Chinese Super Ninja. No entanto, se formos comparar a qualidade de ambos, a obra de Cheh é superior em muitos aspectos, principalmente por ter todo o apoio da Shaw Bros por trás. Mas Kwok não faz feio aqui!

Os japoneses enviam ninjas para assassinar um importante general (Ti Lung). Esse general manda seu filho ir atrás de um velho mestre especialista nas técnicas ninjas para ele enviar seus 3 alunos para protegê-lo. O filme começa meio lento, mas a partir do momento em que os 3 alunos chegam ao palácio para proteger o general a ação não pára até chegar no clímax, onde eles têm que enfrentar o líder dos ninjas (Yasuaki Kurata). Infelizmente essa luta final é relativamente curta, mas isso não estraga o filme.

O fabuloso Ninja In The Dragon’s Den de Corey Yuen ainda é insuperável, o melhor filme de ninja de todos os tempos, mas Ninja In The Deadly Trap é um filme digno dos Venoms e vale uma conferida especialmente por tratar-se de uma produção independente taiwanesa e ser o primeiro filme de Phillip Kwok como diretor.

 

Nota : 7.5

 

Curiosidade

Apesar de terem tido um bom relacionamento profissional, Phillip Kwok e Yasuaki Kurata só voltaram a trabalhar juntos novamente em 2002, na produção japonesa Yellow Dragon, protagonizada por Kurata, onde Kwok foi coordenador de lutas.

[ ver mensagens anteriores ]
Visitante número:



 
UOL